Fechar

Fechar

Curso de compostagem da Empasa estimula ressocialização de apenados na Paraíba

Secom/PB. Publicado em 10 de junho de 2018 às 14:23.

Um projeto de horticultura orgânica na Penitenciária Padrão de Santa Rita ganhou um reforço com uma capacitação na produção de composto orgânico, concluída nessa semana, pela Empresa Paraibana de Abastecimento e Serviços Agrícolas (Empasa), oferecida a 12 apenados que vivem em regime fechado e agora vão poder incrementar a produção de quase 70 kg de hortaliças e verduras por mês.

A horta foi idealizada e implantada há seis meses para diminuir o ócio, ajudar na remissão da pena, capacitação, geração de emprego e renda.

A ideia do coordenador do Projeto Agricultura Periurbana em Unidade Prisional da Penitenciária, Edson Firmino, era apostar numa iniciativa como forma de garantir a maioria dos produtos produzidos na mesa dos apenados, tornando o lugar autossuficiente. Alguns não chegavam a compor o cardápio dos detentos.

“A nossa iniciativa já está servindo de modelo para outras unidades prisionais, e o Silvio Porto já está em fase de seleção dos apenados”, disse.

A 2ª fase do projeto visa comercializar o que foi produzido para tornar a horta autossustentável. Segundo Edson, a projeção é de que haja um faturamento mensal entre R$ 2 a R$ 4 mil.

Foto: Reprodução/ Internet

Foto ilustrativa: Reprodução/ Internet

A iniciativa assistida pela Empasa, além de ajudar na produção de composto com mais qualidade para a própria horta, vai colaborar nos projetos da agricultura familiar do município de Santa Rita, cujos entendimentos nesse sentido foram mantidos na quinta-feira (7), onde o município deverá destinar os resíduos orgânicos provenientes do Mercado Público do centro da cidade, já que o presídio não produz a quantidade suficiente, exigida na produção.

Em contrapartida, a secretaria municipal de Agricultura deve receber o composto produzido no presídio para utilização nos projetos produtivos de horta orgânica do município.

“Além de tornar a unidade prisional autossuficiente na produção de hortaliças e verduras, incentiva a ressocialização dos apenados e a diminuição da pena. Ainda estamos dando o destino correto dos resíduos orgânicos e ajudamos outros projetos similares no município de Santa Rita”, lembrou Edson Firmino.

A capacitação da Empasa, foi oferecida em dois módulos, contemplando inicialmente as aulas teóricas e depois as práticas com programação de 20 horas/aula, abordando no conteúdo assuntos como: coleta seletiva e sua importância, classificação e transformação.

“Estimular essa consciência limpa nas pessoas não tem preço, pois você começa a entender que o meio ambiente precisa ser tratado com outro olhar, pois devemos fazer valer o que está no artigo 255 da Constituição Federal ao declarar que precisamos cuidar da geração, não só a atual, mas a futura, com o destino correto dos resíduos”, declarou a gestora Ambiental que coordena o Programa de Compostagem da Empasa, Silvana Alves.

O presidente da Empasa, José Tavares Sobrinho, lembrou do compromisso social em humanizar a rotina dos apenados e investir na capacitação deles, visando à reinserção no mercado, e a estatal vem contribuir não só com essa iniciativa, mas com outras que possam gerar dignidade humana por meio de atividades produtivas, inerentes do setor primário.

Matérias Relacionadas
Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube