Fechar

logo

Fechar

UFCG inaugura usina de energia solar em campus no Sertão

Da Redação com Ascom. Publicado em 1 de maio de 2018 às 13:18.

Na última quinta-feira, dia 26, na celebração do 12º aniversário do Centro de Ciências e Tecnologia Agroalimentar (CCTA), a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) inaugurou a usina fotovoltaica naquele campus, instalado na cidade de Pombal, tornando-se a primeira instituição pública do Sertão paraibano a receber uma “planta” do gênero.

Ocupando uma área de 185 metros quadrados, as 114 placas solares montadas têm capacidade gerar 30 quilowatt pico (kWp), promovendo uma economia em torno de R$ 20 mil por ano na conta de energia do CCTA.

O investimento, da ordem de R$ 160 mil, é resultado da chamada pública de Projeto de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) “Arranjos Técnicos e Comerciais para a Inserção de Sistemas de Armazenamento de Energia no Setor Elétrico Brasileiro”, coordenada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Foto: Reprodução/ Internet

Na cerimônia de inauguração, o diretor do CCTA, Anielson Souza, fez agradecimentos aos membros da comunidade acadêmica e agentes públicos que contribuíram para a instalação da usina, especialmente, ao ex-diretor Roberto Clayton.

O vice-reitor Camilo Farias, ao agradecer oficialmente às instituições parceiras, em especial à Aneel, disse que a usina era a concretização de “um sonho alto que fazia com que a comunidade universitária sonhasse mais alto ainda”, pois, naquele instante, a expansão do sistema passava a se tornar uma meta.

Destacando que o equipamento é mais um marco das ações vanguardistas da universidade, Camilo ressaltou que ela promove outros caminhos no ensino, pesquisa e extensão, como também torna-se elemento atrativo para novas vocações e importante para a permanência do aluno.

O vice-reitor exaltou ainda a importância dos fóruns do Semiárido de Energia Solar que, a partir da Carta de Pombal (2015), “com suas discussões, inicialmente, filosóficas” pautaram realizações e orientam os passos rumo ao estabelecimento daquela fonte energética.

O diretor da Aneel, André Pepitone, destacou que os recursos ali empregados eram oriundos das contas de luz de cada brasileiro – fruto da arrecadação e do cumprimento de lei que destina um percentual para ações de inovação -, e ressaltou investimentos “de quase um bilhão de reais” nos municípios de Coremas e Malta, com a instalação de complexos, também aproveitam a potencialidade do Sertão paraibano para a captação da radiação solar.

André acrescentou que uma nova filosofia vem sendo empregada pela Aneel para distribuição desses recursos (através das chamadas públicas) “agora, focada ainda mais na apresentação, instalação, de produtos” e que uma rede integrada de inovação vem sendo criada (para estudo, pesquisa e desenvolvimento de produtos) para repercussão imediata, e direta, na sociedade.

Além de dirigentes da Aneel e membros do Comitê de Energia Renovável do Semiárido (Cersa), participaram da solenidade o presidente da Alsol Energias renováveis, Gustavo Malagoli, o prefeito universitário, Mário Araújo Neto, diretores da Energisa e o prefeito municipal, Abmael Lucena (Verissinho).

Share this page to Telegram
Matérias Relacionadas

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube