...

Campina Grande - PB

Semana da Indústria debateu as profissões do Futuro no setor industrial nesta quinta

17/05/2018 às 23:06

Fonte: Da Redação com Ascom

Foto: Ascom

Na penúltima noite da Semana da Indústria, a Programação do evento foi focada, no futuro da indústria. E o público que esteve na sede da FIEP, em Campina Grande acompanhou uma demonstração de Robótica, e um debate sobre o “Futuro das Profissões na Indústria 4.0”.

A demonstração de Robótica reuniu as equipes “Os Robossauros”, “Criadores de Gigantes”, “os Destemidos” e “Legonautas” formadas pelos alunos do SESI de Sousa, Bayeux, Campina Grande e Patos.

Em cada estande montado, no hall da FIEP, o público teve a oportunidade de conhecer os robôs, e os projetos de pesquisa, e todo o processo que os técnicos do SESI desenvolveram juntamente com os alunos, utilizando a Robótica.

“Divulgamos aqui no evento, a Educação 4.0 com foco na Robótica, a indústria tem caminhado com foco nessa nova indústria, baseada na 4ª Revolução Industrial, e aqui estamos demonstrando através de Projetos, Programação de Robôs, essa Robótica como um apoio a Indústria, e a Educação”, Alexsandra Sousa, gerente de educação Básica do SESI.

Depois de conhecer a estrutura e os projetos das equipes de Robótica do SESI da Paraíba, os participantes do evento acompanharam um talkshow sobre “As profissões do Futuro na Indústria 4.0”, com o presidente da FIEP, Francisco de Assis Benevides Gadelha, o gerente executivo de Educação e Tecnologia do SENAI Nacional, Felipe Morgado, o diretor executivo da Associação Brasileira de Recursos Humanos – ABRH na Paraíba, Alysson Macedo, e que teve a mediação dos jornalistas e repórteres Especiais da Rede Globo, Francisco José e Beatriz Castro.

Durante o debate, o presidente da FIEP, falou que a 4ª Revolução Industrial vai exigir dos industriais, criatividade, e preparar seus colaboradores para a nova era que está iniciando.

“A indústria terá que ter criatividade, precisa buscar inovar, sempre observando os riscos apresentados pela conjuntura, e formar sua equipe de profissionais de acordo com as demandas e recursos tecnológicos disponíveis e que serão tendências, e para atender essa demanda o SENAI está preparado”, explicou Francisco Gadelha.

Foto: Ascom

O gerente executivo de Educação e Tecnologia do SENAI Nacional, disse que a instituição está sempre buscando se adequar as demandas exigidas pelo setor industrial, e de olho nas tendências do mercado.

“O SENAI tem se preocupado em identificar quais são as tecnologias que serão difundidas nos próximos cinco a dez anos, nós temos uma metodologia própria que até já exportamos para 19 países, e também estamos procurando identificar quais as demandas de formação profissional, para os próximos cinco anos através do Mapa Industrial. Junto com especialistas, técnicos de empresas, representantes da Academia e das entidades de Classe, discutimos quais serão os perfis desses profissionais da Indústria Brasileira. Estamos lançando um Programa SENAI 4.0, onde identificamos junto com os melhores especialistas em Indústria 4.0 no Brasil, quais são as tecnologias habilitadoras na Indústria 4.0, e elencamos 8 tecnologias habilitadoras, e mapeamos quais as capacidades técnicas que esses profissionais que vão atuar com as tecnologias habilitadoras precisam ter”, explicou Felipe.

De acordo com Felipe Morgado, alguns setores industriais serão mais desenvolvidos e impactados, principalmente o setor de Tecnologia da Informação e de Automação. Mas outros setores com o tempo também serão impactados com a 4ª Revolução Industrial, a exemplo da indústria da manufatura e a indústria da Tecnologia da Informação.

Então nós estamos sempre adequando nossos recursos didáticos, capacitando os nossos docentes, para estarem preparados para atender a Indústria também nessa nova era.

Em relação as profissões do futuro, o representante do SENAI Nacional comentou que o Fórum Econômico Mundial projetou que 65% das profissões existentes hoje, não estarão disponíveis daqui há 30 anos.

“As profissões que os nossos filhos estão vendo hoje, 65% delas não estarão disponíveis quando eles estiverem trabalhando. É difícil prever quais serão as profissões do futuro, as profissões se transformam, agora é preciso desenvolver nos jovens de hoje, nos profissionais do futuro, competências técnicas sólidas, como programação, utilização de sensores, uso da microeletrônica, e também competências sócio emocionais, como trabalho em equipe, resolução de problemas complexos, criatividade, tudo vai ajudar com que esses profissionais se transformem e sejam profissionais de sucesso”, lembrou Felipe Morgado.

Foto: Ascom

Já o diretor executivo da ABRH – PB, Alysson Macedo, orientou como os profissionais da Indústria devem se preparar para o futuro.

“O Profissional que vai atuar na Indústria do Futuro, deve buscar as competências que serão tendências nos próximos anos, por exemplo, as tendências emocionais, as competências mais voltadas para a área comportamental, depois buscar orientação e pesquisar quais serão as profissões que estarão em alta, para que tenha mais tempo para se preparar do ponto de vista comportamental, e emocional, e se for o caso ingressar em uma nova profissão, ou saber o futuro da sua profissão e se preparar para ele, porque quando falamos em futuro, estamos nos referindo aos próximos cinco, sete anos, no máximo dez anos”, afirmou.

A programação da Semana da Indústria será encerrada nesta sexta-feira, às 20h com o show musical “Entre Eles”, do cantor Alexandre Tan, e de Calliandra Andrade. Informações adicionais sobre o evento podem ser obtidas através do telefone: (83) 2101-5396.

Veja também

Comentários

Simple Share Buttons