Fechar

logo

Fechar

Coluna de Elizabeth Marinheiro: Tessituras

Da Redação. Publicado em 19 de maio de 2018 às 11:36.

Por Elizabeth Marinheiro (*)

Obscuros dias…

E hoje tomei-me de Drummond, companheiro de várias horas. Os dias são como sua própria poética.

Claro, não pretendo a ousadia de abordar o Poeta em apressadas linhas, até porque estou diante do Gênio estudado por muitos sábios.

Para mim, ele permanece “claro enigma”. Artesão da humanidade. Lírico ou épico, mas com o discurso do sempre. Tradicional e moderno. Seu “gochismo” pode levar-me à dor, ao humanismo, à miséria moderna.

Sua ética intelectual acolhe o humor e o desencanto. Humor, cujo timbre de piada, esconte a visão crítica, a exemplo de “O sátiro”.

O desencanto, explícito na desintegração das palavras, soma-se ao clássico, ao épico e ao grito social revelados em “A Bomba”:

“A bomba/ não destruirá a vida”

CONTINUE LENDO AQUI

Share this page to Telegram
Matérias Relacionadas

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube