Fechar

Fechar

Deputado pede que MP apure assassinato de empresário de Araruna

Ascom. Publicado em 3 de março de 2018.

O deputado federal Benjamin Maranhão (SD) solicitou, na manhã desta sexta-feira (2), durante audiência com o procurador-geral de Justiça, Francisco Seráphico Ferraz da Nóbrega Filho, e o 1º subprocurador-geral, Alcides Jansen, que o Ministério Público continue apurando o caso do assassinato do empresário do município de Araruna, Jonathan do Vale Ribeiro, de 24 anos, dentro do Hospital Psiquiátrico Juliano Moreira, em João Pessoa, em dezembro do ano passado.

“É importante que o Ministério Público apure o que de fato aconteceu, bem como a responsabilidade pela morte desse jovem. Não dá para acusar apenas dois internos que sofrem com problemas psicológicos. Como fica a responsabilidade do Estado nessa história?”, indagou o deputado, destacando que é necessária uma análise mais detalhada das causas do assassinato ocorrido no Juliano Moreira.

O procurador-geral garantiu a Benjamin Maranhão que o Ministério Público continuará atuando junto ao Hospital Psiquiátrico para desvendar o mistério que envolve a morte de Jonathan do Vale.

Francisco Seráphico também adiantou ao deputado o trabalho que já está sendo realizado pelo Centro de Apoio Operacional às Promotorias da Saúde (Caop) que já chegou a se reunir com a diretoria do Juliano Moreira para tratar sobre a superlotação.

Foto: Ascom

Foto: Ascom

“A direção da instituição chegou a informar que o grande problema é quanto aos internamentos compulsórios. De acordo com eles, muitos dos casos deveriam ser tratados nos Centros de Atenção Psicossocial (Caps), especialmente dos usuários de drogas e álcool, uma vez que o internamento deveria se restringir aos casos realmente necessários”, destacou o procurador-geral.

Por telefone, o coordenador do Caop Saúde, promotor de Justiça Raniere da Silva Dantas, informou que com base nos relatos da direção do Juliano Moreira será elaborado um manual pela Secretaria Estadual de Saúde para orientar as secretarias municipais sobre como proceder nos casos de problemas mentais e dependentes químicos.

Também será firmada uma parceria junto ao Tribunal de Justiça para reavaliar as autorizações para as internações compulsórias.

Para o deputado Benjamin, a atuação do Ministério Público é fundamental, tanto nesse caso do empresário de Araruna, como para evitar novos assassinatos dentro da instituição psiquiátrica.

“Também é importante que se continuem as investigações para esclarecer e até punir os verdadeiros responsáveis pela morte de Jonathan do Vale e foi isso que o Procurador nos garantiu”, afirmou.

O caso – Jonathan do Vale Ribeiro era proprietário do Bar Toca da Raposa de Araruna e vinha sofrendo de depressão. Segundo informações da família, o empresário teve um surto psicótico e foi levado ao Juliano Moreira em busca de tratamento no dia 4 de dezembro.

Segundo o deputado, o problema é que Jonathan apareceu morto no dia 9 de dezembro e a família não recebeu nenhuma informação sobre a causa da morte.

Ao ver que o jovem tinha marcas no pescoço e hematomas pelo corpo, à família procurou a polícia e só assim foi feita a necropsia, esclarecendo que a causa morte foi asfixia.

Matérias Relacionadas
Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube