Fechar

logo

Fechar

Morales é confirmado como candidato do MAS à reeleição na Bolívia

Agência Brasil. Publicado em 17 de dezembro de 2017 às 8:03.

O presidente da Bolívia, Evo Morales, foi escolhido neste sábado (16), em um grande evento em Cochabamba, como candidato do Movimento para o Socialismo (MAS) às eleições de 2019. Ele vai tentar o quarto mandato consecutivo. A informação é da Agência EFE.

Morales foi escolhido pelas organizações e movimentos sociais que integram o MAS, em um evento realizado pelo governo para celebrar o Dia da Revolução Democrática e Cultural, que lembra a data de sua primeira eleição para presidente, em dezembro de 2005.

“Evo, irmão, o povo te proclama”, gritava a multidão de simpatizantes do MAS, que se reunia em uma avenida de Cochabamba.

“Missão cumprida, estamos habilitados para as eleições”, respondeu Morales, que estimou um público de 1 milhão de pessoas.

Líderes camponeses, estudantis e sindicais, entre outros representantes do MAS, discursaram no palco montado para expressar apoio à nova candidatura do presidente boliviano.

“Nós, as organizações sociais, os trabalhadores e as classes populares já temos o nosso candidato e se chama Evo Morales Ayma para 2019”, afirmou o sindicalista Rolando Borda.

foto: José Cruz/Agência Brasil

O presidente recebeu o apoio popular como uma mensagem de que não se pode parar o “processo de mudança” na Bolívia, iniciado quando ele venceu há 12 anos sua primeira eleição presidencial.

O apoio das bases ocorre duas semanas depois de Morales ter anunciado que seria candidato, após receber autorização do Tribunal Constitucional do país para tentar a reeleição.

A decisão judicial, duramente criticada pela oposição boliviana, afirmou que a Convenção Americana de Direitos Humanos prevalece sobre as leis do país, que limitam a reeleição a dois mandatos.

Morales já tinha recorrido à Justiça para disputar as últimas eleições. Na época, o Tribunal Constitucional considerou que o primeiro mandato do presidente não poderia ser contado porque o país foi refundado com a assinatura da Carta Magna de 2009.

Os opositores denunciam que o presidente quer se perpetuar no poder, descumprindo a Constituição que ele mesmo promulgou. Além disso, Morales estaria ignorando um referendo realizado em 2016, quando os bolivianos negaram a possibilidade de ele se reeleger.

Matérias Relacionadas
Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube