Fechar

logo

Fechar

Em nota, ex-secretário da gestão do PMDB rebate acusação de auxiliar de Romero

Da Redação com Ascom. Publicado em 7 de maio de 2017 às 11:59.

foto: Paraibaonline

O ex-secretário de Educação, Esporte e Cultura, Flávio Romero, da gestão do prefeito Veneziano Vital do Rêgo (PMDB), rebateu, através de nota, acusação feita pelo atual secretário da pasta, Telles Albuquerque, de que a gestão passada teria escondido mais de 10 mil pares de tênis escolares no ginásio Meninão.

Eis a nota:

Na condição de ex-secretário de Educação, Esporte e Cultura do município de Campina Grande e face à matéria divulgada neste prestigiado site, intitulada: “Secretário denuncia que ex-gestão do PMDB escondeu 10 mil pares de tênis escolares”, venho esclarecer:

•    A aquisição de fardamento escolar, inclusive de tênis, sempre previa a denominada reserva técnica, ou seja, um quantitativo a mais dos itens do fardamento, que seria utilizado, eventualmente, em alguns casos específicos, a exemplo da troca motivada pela divergência de número e/ou tamanho, entre o indicado no pedido inicial formulado pelas diretoras das escolas e o que efetivamente seria necessário ao uso do aluno, ou, outra hipótese, para atender novos alunos da Rede Municipal de Ensino, não cadastrados no pedido inicial;

•    Essa reserva técnica era necessária para atender a dinamicidade e a complexidade de distribuição e de logística na concessão do fardamento escolar, considerando o tamanho e as especificidades da Rede Municipal de Ensino de Campina Grande que contava com mais de cem unidades escolares, das quais em torno de quarenta na área rural;

•    A distribuição de fardamento nos anos em que estive na gestão, contemplou a integralidade das escolas e alunos da Rede Municipal de Ensino – aproximadamente 20 mil alunos;

•    Neste sentido, se forem consultados o devido processo licitatório e os arquivos da Secretaria Municipal de Educação, fato que certamente não encontrará nenhuma resistência na professora Iolanda Barbosa, que tem efetivo compromisso com a política pública da educação e com a transparência, consequência da sua visão Republicana, poderá ser feita uma análise comparativa entre o número de tênis adquiridos por nossa gestão por meio do devido processo legal e a quantidade que foi distribuída na Rede Municipal de Ensino;

•    Poderá se constatar que a reserva técnica jamais seria correspondente a 50% do total de alunos do município (10 mil), a não ser que a nossa gestão tivesse deixado de entregar os tênis a metade dos alunos – isso não ocorreu. Se tivesse ocorrido, a diligente oposição teria denunciado, à época;

•    É importante destacar que quando assumimos a Secretaria em janeiro de 2005, também encontramos itens do fardamento escolar da gestão da Prefeita Cozete Barbosa e até das gestões do PSDB, devidamente depositado no Ginásio “O Meninão”. Diferentemente da atitude do atual Secretário de Esportes, agimos com responsabilidade, buscando saber detalhes sobre o fato. Neste sentido, passamos a entender que se tratava da já citada reserva técnica. Na oportunidade, adotamos as providências no sentido de utilizar parte do material, distribuindo-os nas unidades escolares, independentemente da cor que caracterizava às gestões anteriores;

•    Certamente, a professora Iolanda Barbosa teria adotado atitude semelhante à minha, por ter uma formação ética positivamente diferenciada e por conhecer, detalhadamente, as trilhas da gestão pública da Educação, que impõe ao gestor equilíbrio, discernimento e determinação. Não há na gestão da professora Iolanda Barbosa qualquer registro feito por ela que macule o nosso trabalho à frente da educação municipal, por quase oito anos;

•    Portanto, reiterando que o número citado pelo atual Secretário de Esportes não corresponde à denominada reserva técnica, ressalto que o material estava num espaço público, historicamente utilizado como depósito, inclusive em diversas gestões que antecederam a do Prefeito Veneziano Vital do Rêgo;

•    Assim, é pouco responsável que um gestor público utilize a frase: “gestão do PMDB escondeu 10 mil pares de sapato”. O material estava num espaço público. Não estava escondido. A fala do atual secretário é desprovida do mínimo de responsabilidade que o cargo exige. É panfletária e tem o intuito, apenas, de criar um fato político com foco na gestão do PMDB;

•    Aliás, a palavra “escondida” não sendo aplicada no sentido público (o “Meninão” é um Ginásio da Prefeitura), poderia ser aplicada no sentido privado. De fato, para o atual Secretário, o material estava “escondido” mesmo, razão pela qual ele demorou cinco anos para “encontrar”, o que denota a “eficiência de sua gestão” no que ser refere ao patrimônio esportivo do município, o que não é fato incomum – o Complexo Plínio Lemos segue “escondido” aos olhos do citado secretário, relegado ao abandono;

•    Finalmente, ressalto que o quantitativo da reserva técnica faz parte do acervo deixado por nossa gestão em um espaço público, cabendo a quem nos sucedeu na área esportiva, adotar as providências cabíveis, no sentido de fazer o bom uso do material, de acordo com as regras que a lei impõe. Certamente, para tanto, não seria necessário aguardar cinco anos.

Matérias Relacionadas
Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube