Fechar

logo

Fechar

Mulher é presa suspeita de traficar drogas em Campina Grande

Secom/PB. Publicado em 24 de abril de 2017 às 19:43.

Foto: Secom/PB

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) de Campina Grande, prendeu em flagrante, na manhã desta segunda-feira (24), no bairro Cidade Universitária, a diarista Rosália Silva de Carvalho, 35 anos. Ela é suspeita de praticar o crime de tráfico de drogas.

A diarista foi denunciada por meio do número 197 Disque Denúncia da Secretaria de Estado da Segurança e da Defesa Social (Sesds).

“Recebemos a informação anônima de que Rosália Silva de Carvalho estaria comercializando entorpecentes no bairro onde mora e que recrutava crianças para repassar as drogas para os usuários. A pessoa que ligou para o 197 disse ainda que ela é mulher de um apenado que cumpre pena por roubo no Presídio do Serrotão”, falou o delegado da DRE, Ramirez São Pedro.

Com a identificação da suspeita, a polícia foi até o bairro onde ela estaria praticando o crime e depois de um monitoramento na rua observou o movimento de crianças na área e a presença de Rosália entre elas. Para não chamar atenção os policiais descaracterizados se comportaram como moradores do bairro e abordaram a suspeita.

Dentro da casa de Rosália os agentes de investigação da DRE apreenderam um revólver calibre 38 com seis munições do mesmo calibre e mais R$ 4,6 mil. Nenhuma droga foi encontrada no local.

Durante o depoimento na delegacia, Rosália informou que ganhou a arma do marido depois que o irmão dela foi assassinado, no mês de novembro. Segundo ela, após o crime, a família dela passou a ser alvo de várias ameaças.

Ainda de acordo com ela, temendo que algo pudesse acontecer com eles, o marido decidiu comprar o revólver para ela usar se fosse atacada por algum inimigo do irmão. Já quanto ao dinheiro, a suspeita alegou que era resultado da venda de um carro, mas não apresentou nenhum recibo que comprovasse a transação.

Depois de ser ouvida, Rosália Silva de Carvalho foi autuada por posse ilegal de arma de fogo e munições e como os crimes são afiançáveis a autoridade policial arbitrou a fiança de 4 salários mínimos, que foi paga pela diarista. Mesmo com a liberação de Rosália, ela ainda vai continuar sendo investigada por tráfico de drogas.

Matérias Relacionadas
Simple Share Buttons

2018 - Paraiba Online - Todos os direitos reservados.

BeeCube