...

Campina Grande - PB

Ex-executivo da Odebrecht relata como repassou R$ 800 mil a senador paraibano

Image data13/04/2017 às 14:15

Fonte: Da Redação

Em um trecho da delação dos ex-executivos da Odebrecht na Operação Lava Jato, o ex-presidente da Odebrecht Ambiental, Fernando Reis, relatou como repassou a quantia de R$ 800 mil ao senador Cássio Cunha Lima (PSDB) nas eleições 2014, através de caixa 2.

A Odebrecht Ambiental é responsável por realizar obras de saneamento no Brasil e no exterior.

O ex-executivo explicou que solicitou ao Governo na Paraíba, em 2011, fazer um estudo sobre uma participação público-privada (PPP) para investir no saneamento do Estado.

Segundo ele, o governador Ricardo Coutinho autorizou que os estudos fossem feitos, mas não quis implantar a PPP no saneamento básico do Estado.

Foto: Paraibaonline

Foto: Paraibaonline

Ainda conforme Fernando, em 2014, o senador Cássio Cunha Lima, que concorria ao cargo de governador nas eleições, procurou o então diretor da Odebrecht, Alexandre Barradas, e pediu a quantia de R$ 800 mil em caixa 2, garantindo que, se eleito, iria implementar a PPP de saneamento básico na Paraíba.

– A Odebrecht Ambiental, sempre procurando áreas de investimento em saneamento, tinha realizado uma demonstração de interesse para fazer estudos sobre uma participação público-privada (PPP) na Paraíba, em 2011. O governador Ricardo Coutinho deu autorização formal para que esses estudos fossem feitos, mas, em determinado momento, ele entendeu que preferia não enfrentar as discussões ideológicas e sindicais, que são contrárias a participação da iniciativa privada no setor de saneamento, e esse projeto ficou parado. No decorrer da campanha de 2014, o nosso então diretor, Alexandre Barradas, foi procurado pelo senador Cássio Cunha Lima, que era candidato ao governo da Paraíba. Cássio chamou Alexandre Barradas para uma reunião no gabinete dele e pediu uma contribuição de campanha, em caixa 2. Os dois acordaram o valor de R$ 800 mil. Eu autorizei e passei isso ao Eduardo Barbosa, nosso responsável, para que ele, com o codinome de ‘trovador’  autorizasse a operacionalização. Nesse caso, a nossa expectativa com a essa contribuição de R$ 800 mil é que se, de fato, Cássio Cunha Lima fosse eleito, ele pudesse levar adiante o processo competitivo (PPP). A Paraíba é um estado carente e queríamos a oportunidade de investir lá – relatou.

Veja também

Comentários

Simple Share Buttons