...

Campina Grande - PB

Presidente da Claro perde ação e vai ter que comparecer à CPI da Telefonia

Medida cautelar suspende criação da Guarda Militar - image data on https://paraibaonline.com.br18/06/2016 às 22:11

Fonte: Da Redação de João Pessoa*

O presidente da operadora de telefonia móvel Claro, José Antônio Guaraldi Félix vai ter que comparecer à reunião da CPI da Telefonia que será realizada nesta segunda-feira (20), na sede da Assembleia Legislativa da Paraíba para prestar depoimento sobre os maus serviços prestados pela empresa e outras irregularidades constadas nas investigações, que estão sendo levantadas pela Comissão Parlamentar de Inquérito.

A informação é do presidente da CPI, deputado João Gonçalves (PDT), que disse ainda que Guaraldi tentou trancar a CPI, bem como sustar a convocação dele para depor na comissão, mas o desembargador João Benedito da Silva indeferiu o pedido de liminar do presidente da Claro.

O deputado disse ainda que as pessoas têm que entender que a CPI é séria e talvez seja uma das mais sérias já instaladas pelo Legislativo brasileiro.

Foto: Paraíbaonline

Foto: Paraíbaonline

“Já estamos há vários meses lutando em defesa do consumidor, que tem a queda frequentes de ligações, cobranças indevidas, que tem os créditos consumidos, pela melhoria do sistema e expansão. É isso que nós estamos fazendo e não adianta ações da justiça das operadoras contra a CPI porque vão ter que vir prestar esclarecimentos”, disse.

Conforme o deputado, as empresas convocadas impetraram já quatro ações na tentativa de anular a CPI ou impedir que seus presidentes compareçam para prestar depoimentos na Paraíba, mas depois de todas serem negadas pelo Tribunal de Justiça da Paraíba vão ter que cumprir a determinação da Justiça.

“O nosso objetivo é cobrar pela eficácia dos serviços prestados. Tudo que fizemos até agora foi aprovado na Comissão e o que dependia de ser aprovado em Plenário foi deliberado. Nós não nos desviamos de nada dos trâmites legais e nem aceitamos conversas paralelas. A última tentativa da Clara foi derrubada”, explicou o deputado.

João Gonçalves disse ainda que somente com presença de Guaraldi alguma coisa possa ser resolvida porque dois diretores de Brasília já prestaram depoimentos, mas nada puderam resolver porque alegaram que não tinham competência para tal.

“Eles não tem poder de decisão, então tem que vir quem realmente possa nos dar uma solução”.

Nessa sexta-feira (17), a CPI ouviu dois delegados da Polícia Civil que estão investigando sonegação fiscal das operadoras na Paraíba.

Veja também

Comentários

Simple Share Buttons