...

Campina Grande - PB

Projeto ‘De Repente no Espaço’ abre temporada 2017 em João Pessoa

03/01/2017 às 13:46

Fonte: Da Redação com Secom/PB

Os poetas Zé Viola (PI) e Antonio Lisboa (RN) abrem, nesta quarta (4), a temporada 2017 do projeto De Repente no Espaço.

Como de costume, a noite da poesia popular acontece a partir das 19h no mezanino do Teatro Paulo Pontes do Espaço Cultural José Lins do Rego, em João Pessoa. A entrada é gratuita. A apresentação é de Iponax Vila Nova, declamador oficial do evento.

Para o público fiel do projeto, é a oportunidade de conferir a performance desses dois nomes da arte do repente. Poetas que trazem consigo o dom que os permite trazer o verso no improviso.

Rápidos no raciocínio e no gatilho mental, os dois têm sempre a resposta de imediato ao oponente.

Antonio Lisboa – Nascido no Rio Grande do Norte, atualmente reside em Recife, onde se formou em Música.

Com 30 anos de carreira, Lisboa já participou de inúmeros festivais com premiação na grande parte deles. É também conhecido por sua militância artística pela luta da organização da categoria.

Zé Viola – José de Moura e Silva até pode passar despercebido. Mas – entre os admiradores da cantoria – é impossível não reconhecer Zé Viola (nome artístico de José de Moura).

Ele é um nome de destaque, bastante conhecido no Brasil. Nascido em Bocaina (PI), Zé Viola está sempre com agenda cheia e se apresenta em todos os cantos do Brasil.

Além de CDs solo, onde interpreta belas canções da essência nordestina, esse piauiense já gravou discos com Moacir Laurentino, Ivanildo Vila Nova, Dedé Laurentino e outros feras do repente.

Zé Viola tem quase 30 anos de carreira e diz que começou de maneira bem diferente dos parceiros de repente.

“Mudei de Teresina para São Paulo, em 1983, e ainda não fazia cantoria. Passei a fazer em 1988. Depois disso, voltei para o Nordeste”.

Foto: Thercles Silva

Aos 52 anos de idade, Zé Viola é um dos grandes nomes da cantoria e do repente no Brasil. Na apresentação do próximo dia 5 ele mostrará sextilhas, martelos e galopes. “Cada tipo deve durar uns 10 minutos. Então, dá umas duas horas de show”, comentou Zé Viola.

Iponax Vila Nova – Nascido na cidade de Cajazeiras no alto sertão paraibano, filho do pernambucano Ivanildo Vila Nova, o maior dos repentistas da atualidade, Iponax cresceu com a poesia no seu dia-a-dia.

A poesia e a viola de Ivanildo estavam em todos os lugares da casa, e aos poucos foi despertando no menino o desejo de participar dessa disseminação da cultura popular.

Fez da poesia a régua e compasso no seu projeto de vida. Ainda muito jovem, levou sua arte para os mais distantes grotões do país.

Um verdadeiro ativista da cultura matuta, é um grande articulador da arte do repente, considerado um dos grandes nomes da poesia e da declamação dos nossos dias.

Cadastro de repentistas – A Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc) lançou o cadastro de poetas populares que desejam participar do projeto “De Repente”.

Os interessados podem se cadastrar pela internet, preenchendo o formulário online, disponível no endereço http://funesc.pb.gov.br/cadastroderepente/ e enviando-o para o e-mail [email protected].

Sobre o projeto – O projeto foi lançado em julho de 2015. É um evento mensal da Funesc que faz parte das ações de ocupação do Espaço Cultural.

Os encontros acontecem na primeira quarta-feira do mês. A cada nova edição, o público conta com diferentes atrações da Paraíba e de outros Estados da região.

Em janeiro do ano passado, quando completou seis meses, o projeto contou com um formato diferente – o 1º Desafio De Repente – com a participação de seis duplas de repentistas. Sucesso de público, a edição especial lotou o mezanino do Teatro Paulo Pontes.

No seu primeiro aniversário, ganhou edição especial intitulada Desafio De Repente, que reuniu cinco duplas de competidores mais uma dupla convidada.

Para celebrar à altura, o evento aconteceu no Teatro Paulo Pontes do Espaço Cultural, que ficou lotado. O apresentador oficial e declamador é Iponax Vila Nova, coordenador do projeto que além conduzir as cantorias realiza oficina de declamação e versos pelo Estado, dentro do projeto.

 

Veja também

Comentários