Sexta-Feira, 24 de Maio de 2013 21h16
Tijolinho Vermelho: MPF recomenda prorrogação de prazo para desocupação
-A
+A
Foto: Ascom

O Ministério Público Federal na Paraíba (MPF) recomendou à União que solicite em juízo a prorrogação do prazo concedido para reintegração do Hotel Tropicana, pelo prazo mínimo de seis meses. O objetivo é permitir o prosseguimento das tratativas acerca da permanência provisória ou desocupação amigável dos moradores que ocupam o prédio do antigo Hotel Tropicana (Ocupação Tijolinho Vermelho), no Centro de João Pessoa.

A recomendação foi feita durante audiência pública realizada em conjunto com a Defensoria Pública da União na manhã de hoje (24) e teve a participação de representantes de órgãos responsáveis pela temática envolvida, entidades da sociedade civil, bem como as famílias ocupantes do hotel.

Veja ata da audiência pública:

O prédio do hotel foi objeto de uma permuta realizada entre a empresa Hotel Tropicana S/A e a União (Secretaria do Patrimônio da União) em 2005. A permuta foi contestada em juízo pelo Ministério Público Federal por ser lesiva ao patrimônio público e desde então o prédio do antigo hotel encontra-se sub judice.

audiencia tijolinho1A União, que assumiu o processo após decisão do Tribunal Regional Federal da 5ª Região - que manteve a permuta - hoje se encontra responsável pelo prédio e ingressou com ação de reintegração de posse depois da ocupação, em abril. A Justiça determinou que as partes buscassem uma conciliação, prazo que se encerra em 6 de junho de 2013.

Durante a audiência, no entanto, a Advocacia Geral da União (AGU), a Secretaria do Patrimônio da União e os representantes da empresa Hotel Tropicana S/A manifestaram-se contrários à proposta do MPF de que os moradores permaneçam no local provisoriamente até o desfecho dos recursos impetrados pela União no Superior Tribunal de Justiça e Supremo Tribunal Federal.

manifestacao tijolinoAlém da prorrogação do prazo concedido para tratativas, o MPF requisitou à Secretaria de Patrimônio Público que consulte a direção superior do órgão a respeito da possibilidade de desistência dos recursos interpostos pela AGU e integração do imóvel em questão para fins de habitação popular, apresentando a resposta no prazo de 20 dias.

manifestacao tijolinho1Uma terceira deliberação diz respeito ao estado da Paraíba e ao município de João Pessoa, que apresentarão, em dez dias, informações sobre as providências que podem adotar para assistência dos moradores no caso de uma desocupação judicial, como: encaminhamento de assistentes sociais para verificar a situação de cada um dos moradores, inscrição em programas habitacionais, educação, saúde, direito à alimentação etc. Os representantes do Estado e Município presentes ficaram responsáveis por tornar a requisição conhecida pelos órgãos competentes, no caso de entenderem que não têm atribuições para prestar a resposta.

A reunião teve a presença de representantes da Ocupação Tijolinho Vermelho, Advocacia Geral da União, Secretaria do Patrimônio da União, Conselho Estadual dos Direitos Humanos, Companhia Estadual de Habitação Popular, Hotel Tropicana S/A, Secretaria Municipal de Habitação, Movimento Terra Livre, Movimento Espírito Lilás e Núcleo de Direitos Humanos da UFPB.

Fonte: Da Redação com Ascom
23
Outubro de 2014
Procurador Eleitoral diz que sistema político brasileiro tem viés corrupto
23
Outubro de 2014
Eleitores reprovam agressividade de Aécio Neves no debate
23
Outubro de 2014
TJPB mantém prisão de acusados na operação policial ‘Tempestade no Sertão’


» TODAS AS NOTÍCIAS